top of page
  • Fernanda Medeiros

O futebol e a biotecnologia

Como a biotecnologia pode ajudar no esporte mais amado do mundo?

Os jogadores de futebol precisam treinar praticamente todos os dias, participar de várias partidas por temporada, manter um bom rendimento e condicionamento físico e ainda se recuperar rapidamente de lesões. É aí que a biotecnologia entra, no auxílio da recuperação de atletas de alto rendimento que não podem parar para se recuperar e não podem deixar que lesões acidentais ponham em cheque as suas carreiras.

Os tratamentos desenvolvidos pela biotecnologia atual permitem que jogadores se recuperem rapidamente enquanto mantêm-se no auge da sua forma física.

Aqui você vai encontrar alguns exemplos de como o desenvolvimento científico ajudou no esporte mais famoso e amado do mundo.


CÉLULAS TRONCO

Enquanto estava em seu auge, Cristiano Ronaldo sofreu uma lesão muscular enquanto defendia o Real Madrid, em 2016. Ele estava lutando contra o tempo para disputar a semifinal da Liga dos Campeões contra o Manchester City. O craque obviamente não queria ser deixado de fora de um jogo tão importante.

Todavia, quando o diagnóstico veio, ele se via sem escolha, a não ser o tratamento intensivo, lento e ineficiente de repouso e massagens musculares.

Mas o famoso CR7 não queria aceitar ser deixado de fora por conta de uma lesão que o iria afastar dos estádios de futebol por 4 semanas ou mais, ele não tinha esse tempo. Por isso ele recorreu, mesmo desaconselhado por sua equipe, ao tratamento de células tronco no lugar da lesão, o que resultou em vitória na Liga dos Campeões e na Eurocopa, com Ronaldo participando com estrelismo em ambas as competições.

Esse tratamento é bem mais simples do que parece, além de extremamente eficiente e rápido, evitando cirurgias complexas e longos repousos, tudo que um atleta precisa para se recuperar e voltar a ativa.

As células tronco hematopoiéticas, que são as células que produzem o sangue, são retiradas diretamente da medula óssea do paciente, sem risco nenhum de trazer complicações futuras à coluna. O tratamento é conduzido com a introdução das células tronco puras no local da lesão, ou seja, no caso de Cristiano, no músculo da coxa direita. As células têm o poder de se diferenciar em células musculares, que influenciam em maior renovação celular, ou seja, as células do tecido lesionado renovam-se com maior facilidade, promovendo uma recuperação mais acelerada.


CERAMENT

Geralmente o futebol é um esporte bastante brutal, onde vemos pessoas se machucando diariamente, de formas diferentes, porém ossos quebrados é a forma mais comum de lesão que podemos encontrar, desde de ossos quebrados no nariz porque a bola foi de encontro ao rosto do jogador, até ossos quebrados na perna por uma pisada incorreta. Ossos quebrados são os piores pesadelos para atletas, porque a recuperação leva de 4 a 6 meses completos, e o jogador, na maioria das vezes, nunca volta a ter o mesmo rendimento de antes, por ficar muito tempo afastado do campo ou por sua recuperação ter sido difícil ou muitas vezes incorreta.

Existe uma numerosa lista de jogadores que sofreram a dor de quebrar alguma parte do corpo durante uma partida de futebol, e entre eles está nosso amado Ronaldo Fenômeno. A lesão quase deu fim a sua carreira no futebol, porém ele se recuperou e continuou a sua carreira até a sua aposentadoria em 2011.

Sua recuperação teria sido muito mais tranquila se ele tivesse utilizado o tratamento CERAMENT, um substituto ósseo sintético composto de 40% de hidroxiapatita, 60% de sulfato de cálcio e um composto líquido chamado iohexol, que forma uma pasta injetável capaz de preencher lacunas deixadas pelas fraturas e ajudar a promover a cicatrização óssea.


O futebol, a política e a ciência caminham juntos para construir um mundo melhor, sempre inovando em conhecimento científico para trazer cada vez mais novidades que podem ajudar os atletas a superarem desafios. O nosso craque do momento, Richarlison, é o que mais se destaca na seleção brasileira por ser um ativista social, defensor das vacinas e da ciência, além de um baita jogador.

Em 2021, o Pombo leiloou sua chuteira usada no final da Copa América, quando o Brasil ganhou de 1x0 sobre o Peru. O total do valor arrecadado foi doado para a Universidade de São Paulo, que teve uma iniciativa contra o Covid-19, da qual o craque é embaixador. Além da ciência ajudar os jogadores de futebol, eles podem ajudar os cientistas brasileiros, com divulgação e promoção de iniciativas sociais voltadas a educação e financiamento de pesquisas em universidades públicas.



“Nunca entrei em um laboratório, ainda sim, eu posso dizer que a ciência é a única saída em todos os momentos.” -Richarlison, craque camisa 9 da seleção brasileira.







Comments


bottom of page